Colégio Agrícola Augusto Ribas, Educação e Técnica a Serviço da Agricultura.

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Agrícola e Senar finalizam curso sobre precisão na agricultura

Os trabalhos foram desenvolvidos por alunos do terceiro ano do Colégio Estadual Augusto Ribas (CAAR) no curso Monitor em Precisão na Agricultura ofertado através da parceria entre a UEPG e o Senar-Paraná


por Marilia Woiciechowski

Com a apresentação do resultado da observação prática em atividades em propriedades rurais, os alunos do terceiro ano do Colégio Estadual Augusto Ribas (CAAR) encerraram, nesta segunda-feira (4 de dezembro), a participação nos cursos da edição 2017 do Projeto de Monitoria Precisão na Agricultura. Trata-se da presença em cursos ofertados através da parceria entre a UEPG e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-Paraná). Os alunos têm a oportunidade da qualificação dentro das linhas do programa Jovem Agricultor Aprendiz (JAA). Neste espaço, recebem orientações de instrutores que trabalham diferentes temas estruturados por módulos - e que atendem aos objetivos do JAA: preparar a nova geração do campo.  
Temas e Seleção
Ao longo da tarde houve a apresentação de três trabalhos com exposição de 20 minutos cada tema. A primeira equipe tratou do tema Planejamento conservacionista de uma propriedade com produção de grãos e tabaco (Gabriel Wellinton Denck Ferreira, Douglas Santana, Gabriel Cassiano Orloviski, Maria Jacinta Taras, Melina Symoneck da Cruz). Na sequencia entrara os temas Sistema de produção: estudo de caso da gleba de produção comercial da Fazenda Escola da UEPG (Anna Cecilia Stremel, Caio Pierini Amorim, Jeniffer Lauber, João Paulo Amaral Ferreira Correia, Ketelen Naiverth de Oliveira); e o Levantamento da capacidade de uso de uma propriedade com o cultivo de grãos e oleaginosas (Eduarda Aparecida Rubik, Francisco Tullio Carneiro, Gabrielle Mara Galvão, Matheus Lineu de Meira, Rodrigo Modesto Rodrigues).
O curso de 280 horas/aula contou com a participação de 15 alunos que foram selecionadas entre os 80 matriculados nas terceiras séries da formação em Técnico em Agropecuária do CAAR. A seleção considerou três quesitos: comportamento; notas nas disciplinas técnicas; e notas no estágio. As horas destinadas ao curso atendem os preceitos básicos para que os alunos possam dar sequencia na aplicação voltada à agricultura de precisão, segundo o professor João Alfredo dos Santos, da equipe de instrutores do programa Monitor de Precisão na Agricultura. Diz que o curso visa apresentar resultados que atendam às demandas de possíveis contratantes de áreas da agricultura. O professor enfatiza que a edição deste ano traz em sua oferta os resultados positivos do trabalho dos alunos participantes em 2016.
Temas para o Produtor
Para o diretor do CAAR, Jail Bueno, a apresentação final dos trabalhos realizados no âmbito do curso tem o sinal: “Missão dada, missão cumprida”. Agradeceu a parceria com o Senar e a dedicação dos alunos em todas as suas fases e atividades. O diretor enfatizou a dinâmica do curso que traz conteúdos a partir de técnicas científicas de fácil aplicação e entendimento para a área. Jail considera que nesse esforço está a presença qualificada da equipe Senar que focaliza cursos específicos para demandas específicas da agricultura. “Nossos alunos ganham muito na participação no curso e em atender os desafios de cada edição da parceria com o Senar”,  diz o diretor, acrescentando que “o que se posiciona sempre é que o aluno entre no projeto e permaneça até o fim e se dedique ao máximo em suas exigências”. Ainda enfatizou a necessidade de prevalecer sempre a humildade com a ética, respeito e vontade de crescer. “É preciso estudar o tempo todo e ao longo da vida. Aprender nunca é demais. Vocês são alunos de Ponta Grossa e região que se qualificam para levar conhecimentos adequados até o produtor”.
Momento Significativo
O coordenador técnico do Senar, Eduardo Gomes, disse que a preocupação na oferta do curso é que os participantes consigam aplicar e agregar conhecimentos que serão somados a outros adquiridos ao longo de sua formação no Colégio Agrícola. Também destacou a presença dos instrutores que tornam possível para os alunos avançar e registrar resultados sempre melhores durante a realização do curso. A pedagoga do Senar, Regiane Hornung, agradeceu a oportunidade de participar da apresentação de trabalhos dos alunos. Destacou a importância das parcerias para somar conhecimentos para a área e também com temas tratados em sala de aula no CAAR.
Felipe Preto, supervisor regional do Senar, registrou que o momento era significativo para o Senar e a Regional em seu trabalho direto com os alunos e com resultados que refletem objetivos traçados. Também participou da mesa de abertura das apresentações do curso Marco Kudrik, da Seção de Produção e Armazenamento da Fazenda Escola Capão da Onça (Fescon) da UEPG. A Fazenda Escola oferece espaços para as aulas práticas do curso. O curso teve aulas nas sextas-feiras e aos sábados. O diretor do CAAR ressaltou que o colégio já se movimenta para verificar junto aos alunos o interesse na participação da edição 2018 do curso.
 
Fonte: UEPG

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Resultado do Teste Seletivo para 2018

Colégio Agrícola Estadual Augusto Ribas
Ensino Médio e Profissional

Parabéns a todos os aprovados.



INTERNATO                                                       
ADCLEISSON SCHEIFER
ALINE GONÇALVES
ALLEPHER BRYAN DOS SANTOS
ANDRESSA OLIVEIRA PINTO
DIONIZIO MIGUEL PEREK FILHO
EDUARDO SCHNEIDER DA SILVA
EDUARDO WURUM NETO
ELLEN CARINE HOPPE
EMILY TANANY VIANA DA SILVA
FLAVIO HENRIQUE FOGGIATO
FLAVIO ZAHREBELNEI
GABRIEL DELGOBO NABOZNY
GIULIANA ELOÍZA PRCYBYLSKI
GUSTAVO CAMARGO DA SILVA
GUSTAVO ROCHA SIQUEIRA
ISADORA SINHORIN
JONATHAN MOCELIM
JOSÉ MIGUEL RAIFUR
KEVIN HARMS
LUCAS GABRIEL DENCK
LUCIANE CAMILA S. PAES DE ALMEIDA
LUIZ FERNANDO DALZOTO
MAIARA BATISTA
MARIA CIBELI VINISKI SILVEIRA
MARLON RAFAEL CORREIA
MARLON SCHILIGA
NAELI MACOSKI
NICOLAS GABRIEL SANTOS
NILDO KOLBOW
PEDRO HENRIQUE LUDWIG DE AZEVEDO
PETERSON ERICK DENCK
THIAGO NEVES DE CAMPOS
VALERIA MARIA KOLIKY
WELISSON TAUAN MOURA DE OLIVEIRA
WILLIANS MATHEUS SILVA DOS REIS

EXTERNATO                                                      
AMANDA WEIBER SCHAMNE
ANA JULIA FLORIANI
ANA LUIZA MARQUES DA CRUZ
ANDRÉ BOHAJENKO NETO
ANDRESSA DA SILVA
BRUNO DA SILVA NERY
BRUNO VINICIUS NUNES
CAMILLA HILGENBERG BENINCA
CAUÃ ESPINDULA TULLIO
DIEGO HENRIQUE FERREIRA DA SILVA
EDIEL ESTHEVES VIEIRA MARTINS
EDUARDA BANACH NUNES
ELIAS DE BRITO CANTELMO
ELLEN PATRICIA ULIACH
ELOIZA DE LIMA COSTA
EMILI PAOLA SOUZA COSTA
EMILLY SOCZEK DA SILVA
ENZO AUGUSTO ESPINDOLA CARNEIRO
FELIPE ANTONIO PIETROCHINSKI
FELIPE MANTUANI DE MIRANDA
GABRIEL FERREIRA PROCOPIO
GABRIELA AUER
GABRIELA HRETCHECHEN
GABRIELA JULIANA PELOTONI
GUILHERME FOGAÇA
GUILHERME MIGUEL FERNANDES PRESTES
HENRYS AUGUSTO BOHAJENKO
IGOR DANILENKO
IGOR RAUL DE LARA SANTOS
INDYANARA PORTELA XAVIER
ISABELY SCHERMAK SANSON FREITAS
JENYFFER GABRIELA GONÇALVES
JOÃO VITOR MENDES
KAROLINE JEREMIAS FERREIRA
KAUANY VITÓRIA HADENA PEREIRA
LAYSA CLARICE FERREIRA
LETÍCIA ANDREATA
LETICIA BRASIL LACERDA
LICIANE LIS
LUIZ GUSTAVO XAVIER
MARCO AURELIO CRIME MIRANDA
MARIA EDUARDA CARVALHO CANTERI
MATHEUS HENRIQUE MAZEIKA
MATHEUS HENRIQUE SCHWAB
MAYARA VERONICA LEMES DO CARMO
MILENA HECK GASPARELO
MOISES EIDAM
NATHÁLIA GRASIELA TÓDERO
NATALY RAFAELA DE SOUZA MACHADO
NICOLAS MATHEUS GONÇALVES MACHADO
NIKOLAS RIBEIRO BATISTA
NICOLY GABRIELA DE SOUZA MACHADO
PEDRO HENRIQUE CORREA DE ALMEIDA
RAYNARA LORRANNE CRIME
REBECA DOS SANTOS
ROBSON CAETANO ALVES HILGEMBERG
RONALDO PEDROSO VICENTE JUNIOR
SABRINA DA SILVA KAMPMANN
SARA CAMARGO TAQUES
STEPHANY LUISA FRANCZAK DOS SANTOS
THOMAS MALLUTA MALACHINI
VANESSA CAROLINE BELO
VICTOR GABRIEL SILVEIRA
VICTOR HUGO BARROS
VITÓRIA DA SILVEIRA SALAMUCHA

Realização do Teste Seletivo

Teste seletivo do CAAR tem mais de 300 candidatos


por Assessoria de Imprensa

Mais de 300 estudantes prestaram o teste seletivo para ingresso no curso de Técnico em Agropecuária do Colégio Agrícola Estadual Augusto Ribas (CAAR), da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), nesta sexta-feira (1ª). Eles responderam questões de português, matemática, história, geografia e ciências e produziram uma redação na concorrência pelas 100 vagas ofertadas nos regimes de internato (35 vagas, 55 inscritos) e externato (65 vagas, 256 candidatos).
O diretor Jail Bueno, observa que o colégio registra novo recorde no número de inscritos para o teste seletivo. “No total, são 311 candidatos oriundos de várias cidades paranaenses e de outros estados”, afirma. Em 2016, foram 297 inscritos. Ele comenta que esse fato denota a qualidade do ensino ministrado no CAAR, que há sete anos se destaca como a melhor instituição pública de ensino na região dos Campos Gerais, na avaliação do Ministério da Educação, por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Neste ano, o Colégio Agrícola está completando 80 anos.
De acordo com o cronograma do teste seletivo, a relação de aprovados será divulgada nesta segunda-feira (4), a partir das 16 horas, no Blog do CAAR e edital do colégio, www.uepg.br/caar ou coleegioagricolaaugustoribas.blogspot.com. A matrícula para os aprovados no externato se dará no dia 7 de dezembro, às 13h30, no auditório do colégio; e para os classificados no internato, no dia 12 de dezembro, às 13h30, no mesmo local. Para a matrícula serão necessárias duas cópias do histórico escolar; cinco fotos 3x4; cópia do RG; cópia da fatura da Copel, em nome do responsável; e cópia da carteira de reservista e título de eleitor, para os maiores de 18 anos.
Mais informações em www.uepg.br/caar ou coleegioagricolaaugustoribas.blogspot.com
Fonte: UEPG

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Atividades marcam ‘Dia da Consciência Negra’ no Agrícola

Atividades marcam ‘Dia da Consciência Negra’ no Agrícola.

por Assessoria de Imprensa

Danças folclóricas, palestra, exposição de banners e cartazes marcaram o movimento cívico alusivo à Semana da Consciência Negra, nesta terça-feira (21), no Colégio Agrícola Estadual Augusto Ribas (CAAR) da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). O evento reuniu alunos, professores, funcionários e convidados no auditório do colégio, no Campus Uvaranas. “O objetivo é contribuir para o conhecimento e reconhecimento da importância dos negros na formação cultural e social do Brasil”, diz o diretor do CAAR, Jail Bueno.
Segundo o diretor do CAAR, o tema objeto de estudos da equipe multidisciplinar do colégio, coordenada pela professora Neusa Cenci. Dentro do projeto “A beleza, a riqueza e a resistência dos povos africanos, afro-brasileiros e indígenas”, foram desenvolvidas diversas atividades, envolvendo as diferentes disciplinas. Entre elas, Danças Folclóricas (Educação Física); Criação de mosaicos com simbologias étnico-raciais (Matemática e Arte); História da produção da cachaça (Química, Agroecologia e Produção Animal); África e escravidão (História); Semente Crioula (Agroecologia e Infraestrutura); e Hábitos alimentares indígenas (Horticultura).
Uma das atividades destacadas pela equipe multidisciplinar é a Oficina de Bonecas Abayomi, desenvolvida pela professora Beatriz Góes com alunos do 3º ano C do curso de Técnico em Agropecuária, com envolvimento dos estudantes das demais séries e turmas. As bonecas simbolizam a resistência dos negros trazidos da África em navios. Para amenizar o sofrimento dos filhos na embarcação, as mães rasgavam as próprias vestes para confeccionar pequenas bonecas, com tranças e nós, que serviam de amuleto de proteção.
As bonecas ficaram conhecidas como Abayomi, ‘encontro precioso’, na língua Iorubá, uma das maiores etnias africanas, que povoava a região onde hoje se localizam a Nigéria, Benin, Togo e Costa do Marfim. As bonecas Abayomi e outros projetos serão levados à exposição promovida pelo Núcleo Regional de Educação (NRE) de Ponta Grossa, nesta quarta-feira (22), no Centro Estadual de Educação Profissional de Ponta grossa (CEEPPG), reunindo trabalhos de toda a rede pública estadual do município.
A palestra com o tema ‘Educação e Diversidade: relações étnico-raciais na escola’, foi proferida pela professora Lucia Mara de Lima Padilha (Departamento de Educação) e a agente universitária Nilvan Laurindo Souza. Elas destacaram a riqueza dos trabalhos pedagógicos desenvolvidos pela equipe multidisciplinar do CAAR. “É importante para os alunos poderem vivenciar essas experiências e conhecerem mais a fundo a cultura afro-brasileira”, disse Nilvan Laurindo, contando que desenvolve projeto de extensão, levando essa temática a escolas e comunidade quilombolas.
Para introduzir o tema, as palestrantes apresentaram o videokê da canção ‘Olhos Coloridos, composta pelo músico Macau, vítima de racismo, e que se consagrou na voz da cantora Sandra de Sá. “Trata-se uma canção de protesto, um manifesto contra o racismo”, disse Nilvan Laurindo, explicando que a Macau compôs em 1970, após ser preso injustamente em uma exposição numa escola pública do Rio de Janeiro. A canção se tornou um símbolo do orgulho negro no Brasil.
 Nilvan Laurindo observa que a proposta do projeto de extensão que desenvolve é ir além da ideia da escravidão e do sofrimento da população negra. “A ideia é mostrar o orgulho de ser negro, a partir de um sentimento reconhecimento e pertencimento à uma etnia que é muito rica e tem papel de relevância na formação cultural do povo brasileiro”, completa, ressaltando que o projeto visa também desmistificar a imagem do continente africado, sempre associada a fatos negativos, como fome, guerra e subdesenvolvimento.
O Dia Nacional da Consciência Negra foi instituído no Brasil oficialmente te em 2011. A data escolhida, 20 de novembro, se refere ao dia atribuído à morte de Zumbi dos Palmares, em 1695. Ele foi o último dos líderes do Quilombo dos Palmares, o maior dos quilombos do período colonial. A data foi escolhida pelo movimento negro, com dia de reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira.

  Fonte: UEPG

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Teste Seletivo - Últimos Dias

Atenção!
Últimos dias para realizar a inscrição para o Teste Seletivo para 2018.

Acesse o link abaixo e veja a documentação necessária.

Informações AQUI.

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

ATENÇÃO: Rematricula



UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA
COLÉGIO AGRICOLA ESTADUAL AUGUSTO RIBAS
Informamos Sr(s) pais e/ou responsáveis legais que no período de 16/11/2017 a 30/11/2017, realizaremos as rematriculas, na secretaria do Colégio Agrícola Estadual Augusto Ribas, das 8:00 às 11:00 horas e das 13:00 às 16:00 horas.
Favor trazer fotocopia da fatura da Copel, atual, em nome dos pais e/ou responsáveis legais para atualização de cadastro.
Os pais e/ou responsáveis devem trazer documento para identificação no ato da rematricula.
A Direção.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Colégio Agrícola recebe kit do Programa Agrinho Solos

O kit vai contribuir para a melhoria crescente das aulas do colégio – e responde ao objetivo do Programa Agrinho em auxiliar na profissionalização dos futuros técnicos agropecuários no importante trabalho na conservação e correto manejo de solos


por Marilia Woiciechowski

O Colégio Agrícola Estadual Augusto Ribas (CAAR), vinculado à UEPG, viveu, nesta quinta-feira (26 de outubro), mais uma etapa do Programa Agrinho – Solos, quando da solenidade de entrega do kit-solo que irá beneficiar os professores e alunos do estabelecimento em suas atividades práticas na área. As ações do Agrinho – Solos têm promoção através do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR-PR), pertencente ao sistema FAEP (Federação da Agricultura do Estado do Paraná). No Paraná, o Agrinho é o maior programa de responsabilidade social do Sistema FAEP, resultado de parceria entre várias instituições públicas e privadas.
Por sua participação no programa, o CAAR recebeu o kit formado por quatro trados (tipo holandês); trena de 30 metros; clinômetro digital; estufa para secagem de solo com circulação de ar e aquecimento de até 200° C; GPS portátil; e jogo de peneiras para análise granulométrica. O gerente técnico do SENAR-PR, Eduardo Gomes de Oliveira, diz que “o Agrinho é um investimento no futuro dos alunos que integram o programa e na valorização da produção rural”. Observa que se trata de um kit básico que irá contribuir para a crescente melhoria das aulas da disciplina de solos – e somar nos materiais do Laboratório do Colégio.
Suporte nas Aulas
O técnico considera o kit como um suporte para a evolução das aulas e no repasse de técnicas aplicadas na área. “É o primeiro ano da proposta que chega para unir os alunos dos colégios agrícolas com a comunidade dos municípios em que estão inseridos”, diz. Nos colégios agrícolas, como explica Eduardo, as ações do programa registram a participação de alunos das terceiras séries que desenvolvem projetos sobre solos com orientações e enfocando pontos, a exemplo da importância solo e da preservação desse patrimônio; sustentabilidade da agricultura; e valorização da produção rural. Eduardo parabenizou o trabalho desenvolvido pelos alunos do CAAR. “As conquistas registradas no programa são o resultado de um trabalho bem feito – e da resposta dos alunos em aceitar os desafios do Agrinho”.
Para Eduardo, a importância do Agrinho está na oportunidade de sensibilizar professores, alunos e as crianças que integraram o programa acerca da importância dos cuidados com o solo para a agricultura e para a vida Na oportunidade, disse: “Os colégios agrícolas formam profissionais que vão atuar junto a produtores como técnicos extensionistas rurais. Transferir o conhecimento técnico valioso para as mudanças das práticas no campo. Vão estar no mercado de trabalho para atender o produtor rural em suas necessidades na área. O técnico enfatiza, no Agrinho, a presença do Senar na conscientização do significado dos trabalhos relacionados à conservação do solo por se tratar de um tema que preocupa o setor produtivo.
Impulso na Aprendizagem
O supervisor regional do Senar, Felipe Preto Grzebielucka, trata da importância da participação do CAAR no Agrinho – Solos, considerando as contribuições que se somam em um trabalho que já realiza há dois anos com alunos do Colégio. “A participação no programa significa um impulso na aprendizagem dos alunos”. Diz que a temática do programa contribui ainda mais para na formação com qualidade dos alunos. Ainda coloca a oportunidade do programa como mais um desafio para o ensino e aprendizagem na área. Também registra como significativa a oportunidade dos participantes em sua aproximação com alunos do ensino fundamental do município. “É um ganho na aprendizagem e na parte da aquisição de mais conhecimentos sobre solos.
Como exemplifica Felipe, os alunos do CAAR têm a chance ampliar os conhecimentos já obtidos nos cursos propostos com o programa Jovem Agricultor Aprendiz (JAAR), registrando conhecimentos sobre a parte da extensão rural; do contato com os produtores rurais; na gestão de negócios, e no repasse de informações sobre temas da área. Ao considerar os resultados da participação dos alunos do CAAR no programa, o supervisor diz que são reflexo do trabalho na formação de profissionais conscientes dos desafios da área. “Nosso maior princípio, hoje, refere-se à formação de profissionais melhores para o mercado de trabalho”. O que para Felipe Grzebielucka significa formar profissionais capacitados em pensar e contribuir com os produtores rurais em suas ações no campo.
Consciência e Premiação
O diretor do CAAR, Jahil Bueno, na solenidade disse que, “no Brasil temos muito ainda para assimilar em tecnologia e produção na área - e na responsabilidade no repasse de informações para que nossas crianças cresçam com a consciência da preservação do solo”. Considerou o momento da entrega do kit – solo como significativo para acentuar o privilégio da participação do CAAR no Programa Agrinho – Solos, que resultou em premiações para alunos e professores do colégio. Num olhar em retrospectiva, recordou o convite para o estabelecimento integrar o programa que, em 2017, propôs o tema “Conservação de solos: sustentabilidade que garante o amanhã”. Nesse sentido, pontuou o espaço da palestra proferida por Cleverson Andreolli, especialista na área de solos, como o início da participação do CAAR no Agrinho – Solos.
Na sequencia à palestra que reuniu professores e 300 alunos do Colégio, o diretor coloca a presença dos alunos que aderiram ao programa em um curso de formação específica (16 horas) sobre conservação do solo, ministrado em junho de 2017. Após essa etapa, os alunos participaram de dinâmicas, observando-se temas selecionados na área, sob orientação dos professores Adalci Leite Torres e José Elias Adamovicz, da disciplina de Solos do CAAR. Também com o suporte da equipe pedagógica do Colégio, os alunos confeccionaram maquetes e dinâmicas com mensagens sobre solos para apresentação em 14 escolas municipais, atendendo mais de mil alunos. O diretor explica que, após, chega-se à fase da confecção do vídeo (três minutos), que retrata a experiência dos alunos nas apresentações nas escolas.
O próximo momento de satisfação no Agrinho – Solos, como destaca o diretor do CAAR, é a presença de professores e alunos do colégio na solenidade de premiação do programa, na próxima segunda-feira (30 de outubro), às 8h30, no ExpoTrade, em Pinhais - região metropolitana de Curitiba. Na solenidade, vão estar Eduarda Aparecida Rubiki, aluna premiada, no Concurso de Vídeo – terceiro ano Colégio Agrícola - ensino médio; e o professor Adalci Leite Torres, um dos classificados em experiência pedagógica. Jahil Bueno registra o entusiasmo dos alunos em participar da próxima edição do Agrinho – Solo. Nessa direção, ressalta a responsabilidade das turmas de terceiro ano que estarão em ação em 2018, diante da destacada presença dos alunos em 2017.
Fonte: UEPG